Trapiá Semente: Semear, Regar, Florescer, Cultivar

 
Serão realizadas quatro ações articuladas e estratégicas junto a 60 jovens de 11 cidades com menos de 50 mil habitantes do Sertão do Seridó. Montagem e estreia de 05 espetáculos e a organização de uma publicação investigada e redigida por Dodora Medeiros sobre o projeto, num processo de 6 meses. Por uma estratégia logística o projeto será realizado no Sertão do Seridó. As 06 cidades que receberam o projeto em 2022 serão atendidas com um outro espetáculo e com duas oficinas, mantendo vivo o grupo que foi criado.
 
O projeto acontece da seguinte forma:

Primeiro uma visita técnica nas novas cidades para consolidar a parceria com o COMDICA, estabelecer as funções de cada parceiro, entrevistar os educadores(as) social e arte educadores(as), conhecer e escolher o local de realização de cada uma das atividades e iniciar o processo de seleção dos 10 jovens que irão participar da montagem. Serão priorizadas jovens do
gênero feminino, como um combate a desigualdade de gênero em virtude do principais problema de comprometimento prematuro com funções domésticas e gravidez na adolescência.
 
Semear: 10 apresentações do espetáculo MENINO PÁSSARO (2/cidade). O espetáculo é uma fábula sobre a amizade, amor, liberdade, sonhos e sobrevivência. Uma vivência de sensibilização para tocar emoções e criar novas perspectivas quanto a potência do teatro. Para os beneficiários a apresentação será uma referência quanto ao teatro da Trapiá Cia Teatral. Após a apresentação será realizada um encontro entre equipe e os jovens para promover discussões sobre a montagem de Menino Pássaro.
 
Regar: Montagem de 5 espetáculos com o protagonismo de adolescentes (14 a 17 anos), que vivem em comunidade em vulnerabilidade social. Nesse processo, os adolescentes poderão compreender seu papel de agentes ativos na sociedade. No processo os familiares também serão envolvidos. O processo tem início com uma reunião inaugural e com o workshop de iniciação teatral ministrado por Alexandre Muniz (ator, diretor e arte educador responsável pelo projeto pedagógico). A montagem segue com 02 encontros semanais com
duração de 2 horas/cada, entre o arte educador da cidade e os jovens, com a prática de jogos teatrais de Viola Spolin. O diretor Alexandre Muniz acompanha e orienta o andamento da montagem quinzenalmente, de forma virtual, junto a equipe de montagem: o arte educador, o educador social e o COMDICA. Paralelamente a equipe de apoio promove encontros com os familiares. No terceiro mês acontece a oficina de construção de bonecos, ministrada por Emanuel Bonequeiro, para ampliar as referências das possibilidades teatrais e para aprofundar o conhecimento quanto ao Teatro de Bonecos Patrimônio Imaterial Brasileiro. Também os jovens terão uma oficina de direção de arte com Custódio Jacinto. A montagem segue com as reuniões virtuais quinzenais, com toda equipe, e o trabalho de 3 horas semanais com os ensaios de cenas e o uso das ferramentas de expressividade cênica: escolha da dramaturgia, criação das personagens e reconhecimento do espaço cênico. No 5º mês a imaginação ganha contornos de realidade com a criação de cenários, figurinos e trilha sonora. No 6º mês o espetáculo nasce, o trabalho das 3 horas semanais, é dedicado aos ensaios finais, com a preparação da estreia, com a presença do diretor da Trapiá Cia Teatral, Lourival Andrade, que acompanhará a fase final e discutirá com o arte educador as técnicas mais adequadas para a construção da teatralidade do espetáculo.
 
Florescer: Estreia dos 05 espetáculos. Produção geral para a apresentação dos espetáculos com toda equipe envolvida. A apresentação acontece presencialmente e através da transmissão ao vivo através de streamings.
É relevante considerar que serão observadas as exigências e protocolos sanitários. O projeto prevê potencializar a economia local contratando fornecedores locais. Existe a meta de que essa montagem seja capaz de unir o grupo para o nascimento de um grupo de teatro na cidade.

Cultivar: as 6 cidades que receberam o projeto no ano de 2022, não ficarão de fora deste ano de 2023. Receberão o espetáculo AS PELEJAS DE BALTAZAR, além de 2 oficinas: O SOM NA CENA com Aglailson França e IMPROVISÃO E CRIAÇÃO DE MOVIMENTO com Monica Belotto e Carla Cintia Dutra.
 
Municípios que receberão o projeto:

Fases SEMEAR, REGAR E FLORESCER: São José do Seridó, São Fernando, Ouro Branco, Ipueira e Santana do Seridó.
Fase CULTIVAR: Acari, Carnaúba dos Dantas, Cruzeta, Equador, Currais Novos e Parelhas.

Este projeto será patrocinado pela COSERN/NEOENERGIA através do Edital 2022 Transformando Energia em Cultura – Rio Grande do Norte.